sexta-feira, 18 de maio de 2018

"Os Passeios Mágicos"


Um dos poemas do caderno, "romeu correia, entre dedicatórias & aproximações", de Luís Alves Milheiro, que será apresentado amanhã:

os passeios mágicos


há tanto por contar
nem sei como hei-de começar

quando viajo dentro do passado
recordo algumas coisas que descobri
quando caminhava a teu lado
e percorria os lugares
que trazias dentro de ti

era como se viajássemos de barca
pelo leito do rio da memória
fixando o olhar nas margens
e apontando o dedo
aos imensos casarios com história

sorrio e continuo a sentir
que o melhor das nossas viagens
era quando te tornavas teatral
e pintavas as pessoas como personagens
oferecendo-lhes um brilho especial

há tanto por contar
nem sei como hei-de começar

                                                                Luís [Alves] Milheiro

quinta-feira, 15 de março de 2018

"Romeu Correia lembrado por Carlos Pinhão"


O livro é de Novembro de 1991, tem realização técnica de Vasco Rosa e capa de Henrique Cayatte incluindo tudo sobre o «I Congresso de Escritores de Língua Portuguesa»: discursos, comunicações, debates, moções e saudações. A Comissão Executiva integrou Alexandre Babo, Júlio Conrado, Wanda Ramos, Edite Estrela, Egito Gonçalves e Salvato Teles de Menezes. O texto de Carlos Pinhão intitula-se «Há uma literatura desportiva» e começa deste modo: «Os senhores desculpem mas há dias em que sou lido por um milhão de Portugueses, em Portugal e no estrangeiro.» A explicação é simples: nesse tempo um jogo Benfica-F.C.Porto dava origem a uma tiragem de 250 mil exemplares de A Bola e, como cada jornal em média era lido por 4 leitores, temos o tal milhão. A seguir Carlos Pinhão afirma: «Há uma literatura desportiva! Foi Ruy Belo quem o disse.» E explicando melhor, recorre às palavras do Poeta: «E é bom que ela exista, visto que existe um desporto, é natural que exista uma literatura sobre essa realidade». Entrevistado pelo jornal A Capital em 1969 e por A Bola em 1970, as suas palavras constam do livro Na senda da Poesia: «Penso que os jornalistas desportivos escrevem bem, conseguem uma coisa que eu gostaria que se conseguisse no domínio da cultura e que é a adesão do povo àquilo que escrevem.» Retomando as palavras de Carlos Pinhão, passamos a citar: «Essa adesão é particularmente significativa no tocante a muitos e muitos milhares de emigrantes portugueses que têm, nos jornais desportivos que recebem, o único elo que os liga à literatura da terra-mãe. Entretanto, continua a faltar, na literatura portuguesa, um romance que tenha por fundo o mundo do futebol, depois das experiências havidas com o romance de Hugo Rocha e, sobretudo, o de Romeu Correia, com o seu Desporto-Rei

[texto de José do Carmo Francisco - fotografia de autor desconhecido] 
     

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Convite para os Mais Distraídos...


A grande exposição sobre Romeu Correia, patente no Museu da Cidade de Almada, poderá ser visitada até 24 de Fevereiro.

É uma boa oportunidade para todos aqueles que andaram "distraídos" em 2017, para poderem recordar ou ficar a conhecer o Homem Chamado Romeu Correia, que foi quem melhor promoveu Almada no mundo da literatura, até aos nossos dias...

domingo, 14 de janeiro de 2018

Romeu, Almada e o Património Cultural


A Associação Amigos da Cidade de Almada inaugurou ontem a exposição, "Almada e o Património Cultural", na Oficina de Cultura de Almada, quando está a comemorar o seu 23.º aniversário.



Um dos atractivos da exposição é uma pequena homenagem a Romeu Correia, que enaltecemos e publicitamos aqui no seu blogue. Esta mostra pode ser visitada até 28 de Janeiro.

(Fotografias de Luís Eme)

domingo, 10 de dezembro de 2017

A Exposição de Romeu está de Regresso à SCALA


A exposição, "Romeu entre palavras, olhares e sonhos", está de regresso à sede da SCALA e ficará patente ao público até 5 de Janeiro, no horário normal de funcionamento desta Associação Cultural de Almada (quartas, quintas e sextas, entre as 15 e as 18 horas, na rua Conde Ferreira, Almada).

E desta vez conta com mais um atractivo nas suas paredes.
  
É uma boa oportunidade para quem ainda não viu a exposição, de aparecer e ver uma outra forma, original, de homenagear Romeu Correia.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Romeu, a Dom Sancho e o "Povoador"


Uma das instituições que homenageou Romeu Correia durante o último ano (de Novembro de 2016 a Novembro de 2017) foi a Universidade Senior Dom Sancho I.

Todos os dias 17 de cada mês levou a cabo uma, ou várias iniciativas. Soube inclusive que no dia do nascimento do Romeu foi apagado um bolo com 100 velas. 

Infelizmente quase todas estas iniciativas nos passaram ao lado (só fomos convidados e tivemos conhecimento da primeira sessão - ainda não existia este blogue - e da inauguração da exposição de homenagem a Romeu Correia). 

Gostaríamos por exemplo de ter assistido à peça de teatro "Quatro Estações", mas mais uma vez só soubemos da sua realização dias depois...

Claro que respeitamos a política desta instituição, mais virada para o seu universo de alunos e professores (já de si bastante largo...).

O boletim da Dom Sancho I, "Povoador", também foi sempre apresentando notícias, crónicas e poemas sobre, e de homenagem, a Romeu Correia. Contou inclusive com a colaboração do seu neto, João Vasco Branco, que escreveu várias crónicas sobre a sua vivência com o avô e sobre os seus livros e o teatro que tanto o popularizou.

domingo, 3 de dezembro de 2017

o "romeo", número dois...


Com algum atraso saiu o número dois do "romeo" (fanzine quase literário de almada).

Como o título da capa indica, "romeu correia, escritor de almada (e do mundo, claro...), é valorizada a sua componente regional, que Romeu assumia sem qualquer problema, com orgulho de ser almadense.

Terá de certeza artigos com interesse para todos aqueles que gostam do Grande Escritor de Almada e da sua obra.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

O Romeu Correia de Edite Condeixa


Foi ontem apresentado o livro, "Romeu Correia, Antologia Temática e Abordagem à Sua Obra Literária", de Edite Simões Condeixa, com a Sala Pablo Neruda completamente cheia.

A sessão começou com a animação musical de "O Trio Minda", que também musicou e cantou um poema de Romeu Correia (Poeta Precisa-se!). 



Depois foi formada a mesa de honra com a autora (Edite Condeixa), o apresentador da obra (Vitor Fernandes), o neto de Romeu (Vasco Branco), a representante do Município (Eunice Figueiredo) e o editor da obra (representante da Colibri).

Houve unanimidade na validade da obra que faz uma abordagem crítica às obras mais importantes de Romeu Correia e também às suas personagens, que será muito importante para todos aqueles que quiserem conhecer melhor o autor almadense e a sua obra literária.

(Fotografias de Luís Eme)